Colunas

Parada Relâmpago

The Slaying of Sandy Hook Elementary

Já faz algum tempo que nos deparamos com mais um dos acontecimentos mais nefastos da atualidade estado unidense, mais um tiroteio em massa ocorreu no país no inicio de 2018, o atentado na escola Stoneman Douglas reabre espaço para as mesmas discussões nos noticiários, entre controle de armas e armamento de professores, liberdade e segurança conflitam, mas o ponto mais importante do debate parece ser deixado de lado. O que promove a ocorrência destes eventos?

A venda aberta de armamentos aparenta ser a principal causa dos massacres, mas é valido lembrar que não é exclusividade dos Estados Unidos esta facilidade de comprar armas, visto que em países como Suíça, Itália e Canadá que também tem venda aberta, não existem casos de tiroteios com a mesma frequência. Existe algo na sociedade que parece causar ódio à própria sociedade.

Venho acompanhando o crescente desejo da população brasileira de se armar, imbuídos da causa nobre de colocar ordem à sociedade, estes tem como solução matar aqueles que não se encaixam na sociedade. A falta de segurança de segurança do Brasil nas ultimas décadas deixa claro como o sentimento de se proteger a qualquer custo pode florescer, entretanto, como visto nos Estados Unidos a maioria dos casos são de agressões à inocentes. Escolas, festas e shows são alvejados por atiradores que não querem mais do que agredir membros de sua própria população, tal fato pode demonstrar que a vida nos estados unidos cobra um alto preço aos seus integrantes ao ponto que um indivíduo em um momento de fúria, desespero ou perdição volte sua cólera para seus próximos, e mesmo por aqui, observando tantos com o desejo de tirar vidas, pelo menos se iludem que estão fazendo bem a segurança da sociedade.

Diante de tantas tragédias não existe apenas sofrimento, noticiários oportunistas exploram estes atentados deixando o intuito de informar em segundo plano, dando foco especulativo e emocional ao acontecimento para atrair audiência, a batalha de narrativas entre veículos de informação acaba por gerar fama ao ocorrido, e com isso reconhecimento ao executor, vivo ou morto, o desfecho do assassino parece de vitória ao pensar que seu objetivo inicial seria conseguir alguma consagração.

O jogo The Slaying of Sandy Hook Elementary baseia se no ocorrido de 2012 para aumentar o escopo do debate, o desenvolvedor o Ryan “PiGPEN” Lambourn nos insere no papel de Adam Lanza, o jovem responsável pelo massacre, para enriquecer sua experiência direi apenas que um tutorial ensinará os comandos do jogo, nosso objetivo é ser um atirador de massas, em 10 minutos você tem a sua disposição uma escola repleta de crianças e professores para assassinar, pode parecer uma peça de muito mau gosto, mas eu te desafio leitor. Além do primeiro cenário dois modos são desbloqueados: o modo de controle de armas em que você possui apenas uma espada e uma pílula, e o modo “lagrimas de águia” em que professores despreparados carregam armas. A trilha sonora original tem em sua letra uma mensagem direta que adiciona mais argumentos à mensagem do jogo. Caso o leitor esteja disposto a passar por todos os cenários, compare os resultados, veja em qual cenário existem mais sobreviventes, observe o ponto de vista do autor e tire suas conclusões.

 

Confira o jogo aqui

Scroll to top