Colunas

Mural

Todo burocrata é infeliz

Os burocratas estão presentes em todas as áreas, não só nas repartições públicas estereotipadas com seus papeis, documentos e registros em três vias. Eles estão presentes até em agências de publicidade, onde a criatividade é matéria prima, e mesmo com as dinâmicas das notícias que não param de acontecer, as redações de jornais também estão cheias de burocratas. Já que estes não usam somente roupas sociais e ternos, todos os lugares possuem seus burocratas.

Não existem variações de pensamento entre os burocratas, pelo contrário, a padronização do pensamento é a principal característica não descrita nos livros sobre burocracia. Eles são loucos por padronização, descartam o diferente como imprestável, a fuga das regras é pecado mortal. Regras que na maior parte das vezes eles nem sabem porque surgiram, e pensam que somente a existência delas a fazem importantes. No final das contas, o burocrata é bastante crédulo.

Respeitam a autoridade acima de tudo, para eles a autoridade já é explicada e justificada por si mesma. Ou seja, se alguém está no poder é porque fez por merecer. Uma ordem é uma ordem e ponto final, questionar é quase imoral.

Reclamações são vistas como frescura. Direitos humanos, sindicatos, ou qualquer outra representação de oposição são sempre obstáculos. Os burocratas são alienados em sua própria realidade.

O burocrata é um depressivo, ainda mais no fim do ano, quando se dá conta que passou mais um ano de forma cinzenta na sua medíocre vida

Scroll to top